sábado 23 de setembro de 2017

Barro

Barro

Foto: Louise Vas

O cantor e compositor pernambucano Barro (voz e guitarra) sobe ao palco do Auditório Ibirapuera, acompanhado pelos músicos Guilherme Assis (baixo e samplers) e Ricardo Fraga (bateria e samplers), para apresentar o espetáculo Miocardio, homônimo ao seu primeiro álbum, que completa um ano de lançamento.

“Esse é um show bem especial pelo fato de estarmos comemorando o primeiro ano do disco”, conta Barro. “Nós vamos apresentar algumas coisas diferentes nele, como as projeções do ilustrador William Paiva, as quais criam interações rítmicas entre o som e as imagens projetadas, e fazer o lançamento do clipe “Poliamor”, dirigido por André Gonzales (Móveis Coloniais de Acaju). ”

Miocardio, que traz a mistura do pop brasileiro, da MPB e de ritmos nordestinos com vertentes musicais universais nas composições, apresenta diversas pontes culturais ao explorar os idiomas italiano, francês, português e inglês também como elementos sonoros, além de possuir forte influência feminina, já que as cantoras Juçara Marçal (Brasil), Catalina García (Colômbia), Serena Altavilla (Itália) e Lisa Moore (Canadá) participam em algumas de suas faixas.

“Tudo isso faz parte do meu universo”, explica Barro. “Eu sempre acompanhei a presença feminina na música, não só de cantoras, mas de compositoras também. Na minha outra banda [Bande Dessinée, da qual é um dos idealizadores], a vocalista é mulher”, diz. “De certa maneira, a presença dessas convidadas forma essas pontes culturais sonoras, de timbre e de linguística que vão além da parte musical e entram na parte do sentido das palavras. Sempre achei que as palavras têm um som que muda todo o significado e a emoção que a música passa. E eu quis trazer isso para o Miocardio.”

Barro (ou Filipe Barros), que atua há mais de dez anos na cena cultural e musical de Pernambuco com a sua Bande Dessinée, entre outros grupos, já marcou presença com seu Miocardio – que conta com um coletivo de produção formado por ele, William Paiva, Rogério Samico, Guilherme Assis, Ricardo Fraga e Gui Amabis – em festivais importantes Brasil afora, como Bananada (GO), Vento (SP), Coquetel Molotov (PE) e Mola (RJ), além de realizar apresentações na Itália, onde o disco também foi lançado.

“Tem um selo italiano chamado A Buzz Supreme que está apresentando novos artistas da música brasileira”, explica Barro. “Eles sabiam da minha relação com a Itália [Barro morou no país por três meses e fala italiano] e me convidaram para fazer parte”, diz. “Lançamos ‘Vai’, com a participação da cantora Serena Altavilla, que tocou bastante nas rádios. Fui para lá e fiz vários programas de rádio e internet, além de shows acústicos e pockets”, diz. “Foi uma surpresa na trajetória do disco. Eu não esperava. E é muito legal ver a comunicação que existe entre o som que eu faço e um público novo, que às vezes não entende o idioma completamente, mas se interessa pela nossa música e pelo meu trabalho.”

 

A apresentação conta com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Compre aqui o seu ingresso.

 

  • Dia:

    sábado 23 de setembro de 2017

  • Horários:

    às 21h

  • Duração:

    70 minutos (aproximadamente)

  • Ingressos:

    R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

  • Classificação Indicativa:

    livre para todos os públicos

  • bilheteria

2017 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados