sexta 27 de abril de 2018

Música no Foyer | Salomão Soares

Música no Foyer | Salomão Soares

Foto: Luan Cardoso

Na sexta-feira 27 de abril, às 21h, o pianista, compositor e arranjador Salomão Soares se apresenta no foyer do Auditório Ibirapuera com o espetáculo Solo Brasileiro, cujo repertório é uma prévia de seu primeiro disco, que será lançado ainda neste ano.

“Na apresentação, vou fazer algumas releituras de clássicos da música brasileira, de nomes como Luiz Gonzaga (“Treze de Dezembro”), Hermeto Pascoal (“Nas Quebradas”), Pixinguinha (“Carinhoso) e Tom Jobim (“Só Danço Samba”), com arranjos não tão convencionais, além de algumas composições minhas”, conta Salomão Soares. “Esse repertório é uma prévia do meu disco Piano Solo, que será gravado em maio.”

Destaque da nova geração de pianistas brasileiros, o músico de Cruz do Espírito Santo – cidade do interior da Paraíba –, que veio de uma família ligada à música (a mãe sempre tocou violão e o pai é fã de nomes como Luiz Gonzaga e Paulinho da Viola), conta que o piano não era a sua primeira opção quando, por influência dos pais, resolveu aprender a tocar um instrumento. Pelo menos, não durante a infância.

“Quando eu tinha cerca de 10 anos de idade, minha mãe disse que me compraria um instrumento e perguntou qual eu queria. Respondi que qualquer um, menos o teclado. Confesso que o achava sem graça”, conta Salomão. “Preferia uma guitarra, uma bateria, algo mais animado. Mas qual não foi a minha surpresa quando, um belo dia, ela volta para casa justamente com um teclado”, fala. “O tempo foi passando, fui conhecendo melhor o instrumento, até que descobri um livro do meu pai que, assim como no meu teclado, trazia o nome das notas, de forma bem didática. Comecei a associar as coisas e a tocar sozinho. ‘Noite Feliz’ foi a minha primeira música.”

Vendo o interesse do filho pelo instrumento, os pais decidiram então levá-lo para estudar em uma escola de música, em João Pessoa. E desde 2008 o artista vem aprofundando os seus conhecimentos como instrumentista, arranjador e pianista. Em 2011, a convite do baterista Guegué Medeiros, mudou-se para São Paulo para estudar no Conservatório de Tatuí, com André Marques (pianista de Hermeto Pascoal). E em 2017 foi para a Suíça, onde participou como um dos dez finalistas (único representante da América Latina) do Piano Competition, no Montreux Jazz Festival, concorrendo com pianistas de diversos países.

“Participar do Festival de Montreux foi uma das experiências mais incríveis, até agora, que a música me proporcionou. Tive a honra de tocar na mesma noite do Herbie Hancock [pianista norte-americano], que é um ídolo não só do piano, mas do jazz mundial”, conta Salomão. “O grande lance foi tocar música brasileira, a música que eu acredito, e ver uma receptividade muito bonita das pessoas que estavam lá. Eu me senti acolhido em ver o público realmente gostando. Nesse sentido, acho que foi uma das coisas mais incríveis que eu já pude viver.”

  • Dia:

    sexta 27 de abril de 2018

  • Horários:

    às 21h

  • Duração:

    80 minutos (aproximadamente)

  • Ingressos:

    Gratuito. Entrada por ordem de chegada ao foyer do Auditório Ibirapuera.

  • Classificação Indicativa:

    livre para todos os públicos

  • bilheteria

2018 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados