sexta 12 de outubro de 2018

O Show da Luna, AO VIVO! | INGRESSOS ESGOTADOS

O Show da Luna, AO VIVO! | INGRESSOS ESGOTADOS

Foto: Kiko Mistrorigo

“Eu quero saber
Por que o gato mia
Verde por fora
Vermelho por dentro
É a melancia
Eu quero saber
Não quero dormir
O que tá acontecendo
Eu vou descobrir”

(trecho da música “Eu Quero Saber”, de André Abujamra e Paulo Tatit, que compõe a trilha sonora da série de animação O Show da Luna!)

Eu quero saber! Do que é feito o arco-íris? Será que tem alguém vivendo em Marte? Por que as bolhas são redondas? São tantas perguntas… Na sexta-feira 12 de outubro, às 11h, a jovem cientista Luna, seu irmão, Júpiter, e o furão deles, Cláudio, sobem ao palco do Auditório Ibirapuera com O Show da Luna, AO VIVO! para tentar responder a essas e outras questões.

Baseado na série de animação para TV O Show da Luna! – criada por Célia Catunda e Kiko Mistrorigo e que está em sua quarta temporada no Brasil –, o espetáculo musical (uma produção do núcleo teatral da TV PinGuim) tem direção de Célia e canções de André Abujamra e Márcio Nigro.

“Além das músicas da série e das coreografias, o espetáculo traz algumas animações. Logo no início, as personagens aparecem em animação, que é a forma como as crianças as conhecem”, explica Célia. “Assim como na TV, em que Luna, Júpiter e Cláudio sempre fazem de conta ‘que são alguma coisa’, no palco eles ‘fazem de conta’ que estão no teatro. A partir daí se transformam em personagens ‘reais’”, conta. “Selecionamos 12 canções de episódios diversos e, a cada resposta ou nova curiosidade que encontram, eles cantam uma canção. Como as crianças conhecem as músicas, existe muita interação.”

Tudo o que é pergunta a Luna faz…

O Show da Luna! é uma série de animação sobre ciências lançada em 2014 e traz a imaginação das personagens Luna, Júpiter e Cláudio como base para elaborar hipóteses e tentar responder a diversas perguntas, que por sua vez vão gerando novas questões, sempre trazendo para a criança o estímulo da curiosidade. De forma leve e divertida e explorando a musicalidade e a dança para passar o conteúdo, o desenho pode ser visto hoje no Brasil (nos canais Discovery Kids, TV Brasil e TV Cultura) e em mais 95 países.

“Em 2006 começamos a trabalhar na Luna, personagem que eu desenhei e que traz muito essa energia da dança. Ela está sempre rodopiando, dançando e cantando”, fala Célia. “Num primeiro momento, não tínhamos o conteúdo de ciências relacionado. Começamos a pensar nele porque percebemos que na época não havia nada desse tipo para crianças dessa idade. Sentimos a vontade de usar o carisma, a força da personagem para falar de um assunto importante, mas de forma leve. Porque [a disciplina de] ciências tem um peso na escola que, às vezes, a torna distante da criança. E queríamos falar sobre ciências a partir das coisas que estão ao nosso redor, no nosso dia a dia. De perguntas que surgem quando você olha o seu quintal, cava um buraco, encontra uma minhoca, quer saber como é que chove.”

Célia acrescenta que, para compor o conteúdo dos 52 episódios de cada temporada da série, ela e Kiko passaram então a se questionar e a pesquisar em toda a história da ciência o que, de fato, a movia. Ao final, chegaram à conclusão de que, mais do que as respostas, esse “movimento” das ciências era causado por novas perguntas.

“Nesse desenvolvimento, tivemos ajuda do Walmir Cardoso (professor de física e astronomia), que é o consultor da primeira temporada e contribuiu bastante para o formato da série”, conta Célia. “Ele trouxe à tona a questão de que não existem certezas absolutas em  ciências, mas sim teorias que vão sendo superadas por novas teorias. E esse avanço é sempre movido por perguntas. Então, O Show da Luna! começa sempre com uma pergunta e termina com outras três, estimulando a curiosidade da criança ao invés de trazer respostas prontas.”

A respeito do grande diferencial dessa série brasileira, que atingiu enorme sucesso no país e no exterior e vem conquistando os pequenos no mundo inteiro – o que levou Luna a ser licenciada e a virar boneca, entre outros produtos –, sua criadora diz que se trata de um conjunto de coisas, mas aponta o prazer de descobrir coisas novas e de poder compartilhar essas descobertas com aqueles de quem se gosta.

“Acredito que entre os diferenciais está o fato de você aprender uma coisa nova e, depois, poder contar o que aprendeu. Junte a isso a personagem Luna – que é cheia de energia e bem humorada –, a relação dela com o irmão – que é divertida, positiva, na qual um ajuda o outro e juntos vão investigar aquilo que querem saber. Outro ingrediente importante são as vozes das personagens, que são feitas por crianças”, diz Célia. “Acho ainda superimportante o fato de os pequenos poderem ver um desenho que está muito ligado à realidade deles, que reflete um pouco da vivência de cada um.”

A apresentação conta com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

 

  • Dia:

    sexta 12 de outubro de 2018

  • Horários:

    às 11h | Abertura da casa: 90 minutos antes do espetáculo

  • Duração:

    60 minutos (aproximadamente)

  • Ingressos:

    R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada) | INGRESSOS ESGOTADOS

  • Classificação Indicativa:

    livre para todos os públicos

  • bilheteria

2018 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados