sexta 19 de outubro de 2018

Tião Carvalho

Tião Carvalho

Foto: Lela Beltrão

Canta, compõe, baila, atua, brinca, educa e pesquisa, além de se entregar à capoeira: Tião Carvalho carrega em si de tudo um tanto, leque profissional que completa quatro décadas. Para comemorar um caminho dedicado às manifestações culturais do Maranhão, a sua terra natal, o artista apresenta uma síntese de sua trajetória em um show com participação de Ana Maria Carvalho, Graça Reis e Grupo Cupuaçu, conjunto fundado por ele há mais de 30 anos em São Paulo. A capital paulista, aliás, junta-se a Cururupu, cidade onde Tião nasceu, e ambas formam um grande bem-querer: “Os dois lugares estão em mim. Cuido deles quando procuro fazer música da melhor maneira que consigo”, explica o cantor.

Faixas como “Hein?”, de Tom Zé e Vicente Barreto, e “Sapaiada”, de Marcos Ribeiro e Xavier Negreiros, mesclam-se a letras autorais, como “A Mulher Mais Bonita do Mundo” e “Coco de Minha Sinhá”, e formam uma apresentação que muito bebe na herança familiar do protagonista. “Importante colocar a minha raiz: venho de uma região de antigos quilombos e trago comigo essa ancestralidade”, salienta. O seu pai foi cantador, outros parentes também se inclinavam para as artes, e é desse berço que vem o amor de Tião pelas melodias. Aos 8 anos, mudou-se para São Luís, capital do Maranhão; lá, passou a conviver com profissionais do ramo, gente de teatro. Na juventude, começou ele próprio a se engajar, como trabalho mesmo, no campo musical. De lá para cá, construiu uma carreira pautada na tradição brasileira.

Tradição, visto que para o compositor, diferentemente do termo cultura popular, a palavra escolhida realça um período de tempo mais extenso, algo que vem dos anos. “Uma herança que nos foi deixada pelo povo antigo”, resume Tião. A partir desse esteio, envolveu-se com o bumba meu boi, importante manifestação cultural que possui, segundo ele, uma aura de mistério. Já o âmbito cênico, em sua opinião, favorece o florescer de sentimentos. “O domínio da emoção, do olhar, do direcionamento do show, a relação com a plateia, vários aspectos que trago do teatro”, afirma o cantor.

 

A apresentação conta com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Compre aqui o seu ingresso.

  • Dia:

    sexta 19 de outubro de 2018

  • Horários:

    às 21h | Abertura da casa: 90 minutos antes do espetáculo

  • Duração:

    90 minutos (aproximadamente)

  • Ingressos:

    R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada)

  • Classificação Indicativa:

    livre para todos os públicos

  • bilheteria

2018 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados