sexta 25 de maio de 2018

Boca do Céu – Encontro Internacional de Contadores de Histórias

Boca do Céu – Encontro Internacional de Contadores de Histórias

Na sexta-feira dia 25 de maio, às 20h, o Auditório Ibirapuera será palco do encerramento do Boca do Céu – Encontro Internacional de Contadores de Histórias, evento bienal que está em sua oitava edição. Na ocasião, será apresentado o espetáculo Todo Nó Cego Eu Desato, que celebra a arte de narrar, cantar, tocar e dançar.

A montagem apresenta diferentes manifestações da arte narrativa presentes na tradição popular brasileira e em outras culturas (como a portuguesa e a afro-americana) e reúne contadores de histórias, cantores e músicos de diversas regiões do país (Clara Morais, Gabi Guedes, Gabriel Levy, Paulo Freire Thomas Howard, Valdeck de Garanhuns, Vinícius Mazzon, Vitor Lopes e crianças da Oca Escola Cultural), além de duas convidadas internacionais (Ana Sofia Paiva, portuguesa, e Charlotte Blake Alston, americana).

“Nessa celebração, que não é uma peça, mas, sim, um show, nós temos como principal objetivo mostrar a multiplicidade de vozes orais que fazem parte de diversas culturas do mundo”, fala Regina Machado, criadora, curadora e diretora artística do Boca do Céu. “Queremos apresentar às pessoas coisas que elas não conhecem com relação às tradições orais e manifestações populares, como contos, romances, lendas, poemas, cantigas, músicas e histórias.”

Durante a apresentação, os músicos, os cantores e os contadores vão se alternando no palco e costurando o espetáculo, ora sozinhos, ora em conjunto. Será exibido ainda o vídeo Meninos e Reis, sobre o reisado (festa popular brasileira, muito difundida nas regiões Norte e Nordeste do país), dirigido pela artista Gabriela Romeu, cujo conteúdo enfatiza que a arte de contar histórias é apenas uma parte das manifestações da cultura popular brasileira.

“Nós estamos sempre trazendo para as edições do Boca do Céu danças, cantos, festas da nossa cultura. E o reisado é uma dessas festas”, explica a curadora do evento. “Nesse vídeo, aparece muito o povo brasileiro e vemos a importância de aprender a perceber, valorizar e entrar em contato com quem nós somos, com as nossas raízes, com as características de povo que nós temos. Com ele, queremos deixar bem claro a nossa posição, que estamos juntos com aqueles que buscam o Brasil brasileiro.”

Regina Machado acrescenta que, embora destinado ao público adulto, Todo Nó Cego Eu Desato também pode ser visto por crianças a partir dos 8 anos de idade. “Ainda existe essa mentalidade equivocada de achar que a narração de histórias é coisa para crianças pequenas. Mas não é”, fala. “Esse espetáculo, por exemplo, não foi desenhado para os pequenos, mas nada impede que crianças o vejam. São diversas e muito significativas as expressões culturais nele apresentadas. E a arte narrativa, considerada fenômeno das culturas humanas, ocupa um lugar importante ao lado das artes visuais, do teatro, da música, da dança e das artes midiáticas e multilinguísticas contemporâneas”.

Para mais informações sobre a programação geral do evento, clique aqui.

A apresentação conta com interpretação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

 

  • Dia:

    sexta 25 de maio de 2018

  • Horários:

    às 20h

  • Duração:

    100 minutos (aproximadamente)

  • Ingressos:

    Gratuito. Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação. Limite de dois ingressos por pessoa. Sujeito à lotação da casa.

  • Classificação Indicativa:

    livre para todos os públicos

  • bilheteria

2018 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados