O que é erosão gravitacional?

Perguntado por: tnobrega8 . Última atualização: 16 de janeiro de 2023
4.7 / 5 7 votos

Erosão Gravitacional: esse tipo de erosão costuma ocorrer em localidades muito inclinadas, como em cadeias montanhosas. Consiste na ruptura e transporte de sedimentos proporcionados pela ação da gravidade, com a deposição gradual de partículas de rochas das localidades mais altas para os pontos de menor altitude.

Erosão é o nome dado ao processo de desgaste e transporte pelo qual o solo e as rochas passam, o que pode ocorrer de forma natural, como pelo vento ou pela água, ou através dos chamados processos antrópicos, que são gerados através da ação do homem.

istock.com / NeilBradfield A erosão do solo pode ser causada por meio da ação de alguns agentes erosivos, assim como: agente pluvial, fluvial, marinho, eólico, glacial e gravitacional.

A erosão causada pelo vento se chama eólica, é a retirada superficial de fragmentos mais finos. É o desgaste físico das rochas através, principalmente, do impacto e/ou atrito de partículas transportadas pelo vento. O vento "esculpe" as rochas lhes atribuindo formas.

Erosão glacial: é o tipo de erosão causado pela ação do gelo, tanto da neve quanto das geleiras. Geralmente ocorre porque as variações de temperatura congelam e descongelam a água, que se dilata e se comprime, afetando as rochas e os solos.

A erosão hídrica é a mais comum nas áreas agricultáveis, pois com a ação da água das chuvas em contato com um solo desprotegido, ou seja, sem cobertura vegetal, causará danos chegando ao estágio irreversível. Nos casos brasileiro e paranaense, a erosão hídrica é a mais importante.

Vamos listar aqui boas práticas de recuperação do solo degradado e os benefícios que elas podem trazer à lavoura.

  1. Rotação de culturas. ...
  2. Recuperação de pastagens. ...
  3. Cordões de vegetação permanente. ...
  4. Introdução de leguminosas. ...
  5. Manejo Integrado de Pragas (MIP) ...
  6. Reflorestamento e florestamento. ...
  7. Descarte correto de embalagens.

O solo pode ser dividido em quatro tipos: arenoso, argiloso, humoso e calcário.

Exemplos de erosão fluvial
Um exemplo é o Delta do Rio Nilo, na África. Já na região amazônica, a erosão fluvial é chamada de terra-caída pelas populações ribeirinhas. Um fenômeno que provoca vários danos socioambientais na paisagem, assim como nas proximidades do Rio Amazonas.

A erosão pluvial, provocada pela ação da chuva, é apenas uma das causas da degradação do solo. Quando a vegetação não consegue proteger o solo de forma correta, a água da chuva penetra no local e o destrói, retirando parte do material que o constitui.

Erosão fluvial: é a erosão causada pelos rios ao longo de seu curso, nas suas margens e em seu leito. Pode ser mais comum em áreas de elevada altitude e relevos montanhosos, pois a gravidade tende a tornar o rio mais veloz, deixando as margens mais suscetíveis ao processo erosivo.

Erosão Hídrica: processo erosivo geralmente envolvendo o solo, deflagrado pela ação de chuvas, compreendendo as seguintes etapas: impacto da chuva, provocando desagregação das partículas; remoção e transporte pelo escoamento superficial; e deposição do material formando depósitos de assoreamento.

Os agentes erosivos naturais são internos e externos à superfície terrestre. Os movimentos das placas tectónicas, os sismos e os vulcões são os internos que, a partir de dentro da Terra, podem provocar alterações no exterior. Já a água e o vento são agentes erosivos externos.

O solo é o resultado de um paciente trabalho da natureza. Partículas (minerais e orgânicas) vão sendo depositadas em camadas (horizontes) devido à ação da chuva, do vento, do calor, do frio e de organismos (fungos, bactérias, minhocas, formigas e cupins) que vão desgastando as rochas de forma lenta no relevo da terra.

Solos bem-estruturados, com maior volume de macroporos, têm permeabilidade rápida, facilitando a retenção da água, reduzindo o escoamento superficial e, com isso, o processo erosivo.

Continuar lendo