O que é infiltração profunda?

Perguntado por: obarbosa . Última atualização: 29 de janeiro de 2023
4.7 / 5 4 votos

Infiltrativa profunda: implantes com mais de 5 mm de profundidade e presentes em outros órgãos além do peritônio. Nesse tipo de endometriose é mais comum ocorrer infertilidade e sintomas severos, que afetam a qualidade de vida da mulher.

Endometriose Profunda
Ocorre quando o foco invade o tecido por mais de 5mm, provocando lesões mais profundas. Pode comprometer o apêndice, útero, intestino, reto, vagina, bexiga e ureteres. Em ambos os casos existe tratamento. Pacientes mais novas apostam em medicação para suspender o fluxo menstrual.

Na verdade, a maioria das mulheres com endometriose não precisarão de cirurgia em nenhum momento. Acupuntura, fisioterapia, atividades físicas e dietas anti-inflamatórias são outras opções que também podem auxiliar no tratamento.

Infelizmente a portadora de endometriose não possui direito à aposentadoria por invalidez, uma vez que o entendimento do INSS é que a endometriose não torna inválida a portadora de endometriose por existir a possibilidade de cirurgia, que quando bem realizada por equipe multidisciplinar, torna a doença mais amena, ...

Caracterizada pela presença de focos de tecido endometrial em locais do corpo que não o útero, a endometriose tem o potencial de afetar diversos órgãos, como tubas uterinas, ovários, peritônio, bexiga e intestinos.

Segundo o especialista, o tratamento cirúrgico da endometriose é feito principalmente através da videolaparoscopia, uma cirurgia minimamente invasiva. Uma câmera é inserida pelo umbigo por meio de um corte bem pequeno, de 1 centímetro, coloca-se um gás no abdômen, e o cirurgião tem visão de toda a região pélvica.

Endometriose profunda
É a forma mais severa de endometriose e, por consequência, a que promove maior grau de infertilidade feminina. Nestes tipos de endometriose, o tecido endometrial invadiu os órgãos dentro ou fora de sua cavidade pélvica. Isso pode incluir seus ovários, reto, bexiga e intestinos.

Ultrassom transvaginal e endometriose
Atualmente considerado o melhor exame para o diagnóstico da endometriose. Idealmente na pesquisa de endometriose este exame é realizado com preparo intestinal, pela via transvaginal e também pela via abdominal no mesmo dia.

Um dos sintomas muito comuns é a distensão abdominal, ou inchaço abdominal. Esse sintoma é tão comum que chamamos de barriga de endometriose ou endobarriga. Esse sintoma é muito frequente entre as portadoras de endometriose. A paciente fica com a barriga bastante inchada e com sensação de estar cheia.

Os principais sintomas de endometriose incluem: cólicas menstruais de forte intensidade; dores durante as relações sexuais; dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação e dificuldade de engravidar.

Endometriose profunda é a forma mais grave da doença. As causas ainda não estão bem estabelecidas. Uma das hipóteses é que parte do sangue reflua através das tubas uterinas durante a menstruação e se deposite em outros órgãos.

Inicialmente, as duas doenças se desenvolvem de forma muito semelhante, isso é verdade. A proliferação das lesões ocorre tanto na endometriose como no câncer. Porém, não existe evidência de que a endometriose pode virar um câncer.

Mas o procedimento cirúrgico de endometriose profunda é de alto custo – numa condição particular pode chegar a custar de R$ 30mil a 50 mil.

Mesmo que às vezes possa ser difícil, em muitos casos, trabalhar meio período ou período integral pode ser necessário para se manter financeiramente estável. Isso significa que as mulheres com endometriose podem ser obrigadas a se deslocar ao local de trabalho, apesar de tudo o que estão tendo que suportar.

Quanto tempo dura a cirurgia? Conforme a gravidade o quadro, é possível que o procedimento leve de uma a oito horas. A taxa de sucesso varia de acordo com a situação: se houver riscos nos intestinos ou nas vias urinárias, pode chegar a 100%; caso o problema seja as dores causadas pela doença, atinge 90%.

“Em mulheres jovens, os tratamentos radicais para a endometriose são a exceção”, diz Podgaec, que é especialista na doença. “Só se retira o útero se outras alternativas não deram resultado na melhora da dor e quando existem outros fatores associados ao quadro clínico da paciente, como mioma e sangramento.”

Como vimos, peritônio, ovários, tubas uterinas, bexiga e intestino estão entre os principais órgãos afetados pela endometriose — embora os focos possam se estender para outras partes da região pélvica e abdominal.

Embora os exercícios físicos possam promover o alívio de sintomas da endometriose, a atividade mais indicada varia de acordo com o nível de dor apresentado pela mulher. Podem ser indicados os isométricos e aeróbicos para portadoras da doença.

Uma recente pesquisa do Hospital Universitário de Zurique, na Suíça, apontou que em mulheres que sofrem de endometriose a ocorrência de fadiga é o dobro do que em mulheres saudáveis.

Essa doença caracteriza-se pela infiltração das células endometriais na parede muscular uterina. Por responderem aos estímulos hormonais, essa “infiltração” ou presença, provoca um processo inflamatório, causando dor e sangramento. Adenomiose pode ser focal, numa única região, ou difusa, em várias partes do útero.

A endometriose intestinal é quando o tecido endometrial, que reveste a parte interna do útero, cresce no intestino, dificultando seu funcionamento e causando sintomas como alteração dos hábitos intestinais e dor abdominal intensa, especialmente durante a menstruação.