Porque pessoas saudáveis Infartam?

Perguntado por: mornelas . Última atualização: 30 de janeiro de 2023
4.2 / 5 19 votos

De acordo com médicos, infarto em pessoas com menos de 60 anos e que não apresentavam qualquer sinal da condição normalmente está relacionado à uma questão genética. Algumas doenças hereditárias e vasculares podem predispor indivíduos a ataques cardíacos em idades jovens.

O jovem pode morrer mais fácil e rápido que o idoso. Segundo Carlos Alberto de Faria, isso acontece porque as placas de gordura mais novas oferecem mais risco. A placa "mole" racha com facilidade e faz com que a artéria fique obstruída pelos coágulos de sangue. O entupimento provoca o infarto.

Mesmo podendo acometer todas as pessoas em faixas etárias distintas, o infarto é ainda mais frequente em homens, a partir dos 55 anos, e nas mulheres, após 65. “O infarto acontece em decorrência da oclusão arterial. Sem receber o sangue, o tecido não irrigado morre.

COMO EVITAR UM INFARTO?

  1. Ter uma alimentação rica em fibras e vitaminas.
  2. Praticar exercícios físicos ou esportes.
  3. Evitar o consumo de alimentos gordurosos, com alto teor calórico.
  4. Evitar o consumo de álcool e cigarros.
  5. Consultar um médico cardiologista, pelo menos uma vez no ano, para verificar algum indício de riscos.

O consumo excessivo de gordura de origem animal, frituras, alimentos industrializados feitos com gorduras trans e de carboidratos refinados podem favorecer o acúmulo de placas de gordura nas artérias, dificultando a passagem do sangue e aumentando, assim, o riscos de infartos e AVC.

Agora, sabe-se também que a sobrevida média depois do infarto é de apenas 5,5 anos para mulheres. Nos homens, a estatística é de 8,2 anos. O dado foi divulgado no relatório de 2021 da Associação Americana de Cardiologia. A situação brasileira é semelhante.

Repouso deve ser feito pelo risco de arritmias e aumento da área que sofreu o infarto. “O tempo de repouso depende do infarto e do tipo de tratamento que foi realizado. Tratamento com remédios tem tempo de recuperação diferente de uma cirurgia cardíaca, por exemplo.

De acordo com uma pesquisa do Estudo Longitudinal de Saúde (Elsa-Brasil), dados mostraram que o aparecimento de distúrbios psiquiátricos como ansiedade e depressão estão associados ao risco de doenças cardiovasculares, como infarto e acidente vascular cerebral (AVC).

Para o Dr. César Jardim o tabagismo, hipertensão arterial, sedentarismo, obesidade e estresse são fatores de risco para o infarto. “O infarto é mais frequente em homens, especialmente a partir dos 45 anos, porém, também tem acometido pessoas mais jovens.

Chá branco: Vem dos brotos novos e folhas da planta Camellia Sinensis, colhidos antes de as flores abrirem. Possui mais ação antioxidante do que os chás verdes e pretos. Diminui as taxas de colesterol ruim (LDL), ajudando a prevenir o infarto.

A principal causa do infarto é a aterosclerose, doença em que placas de gordura se acumulam no interior das artérias coronárias, chegando a obstrui-las. Na maioria dos casos o infarto ocorre quando há o rompimento de uma dessas placas, levando à formação do coágulo e interrupção do fluxo sanguíneo.

Após um Infarto agudo do miocárdio, os principais cuidados que se deve ter, são: Evitar exercícios físicos intensos, ou levantar pesos; Iniciar o quanto antes o processo de REABILITAÇÃO (orientado pelo/a médico/a que o acompanha);

“Certamente quem já sofreu um infarto tem mais chances de sofrer outro. O paciente que já sofreu um evento do tipo é considerado de alto risco cardiovascular e possui uma chance de novos eventos em 10 anos superior a 10% para mulheres e a 20% para homens”, explica o cardiologista Gabriel Dotta.

Isto acontece porque de manhã há uma maior descarga adrenérgica (liberação de hormônios como a adrenalina, que elevam a frequência cardíaca), maior tendência de elevação da pressão arterial e maior agregação plaquetária, um fenômeno do sangue que favorece a obstrução de um vaso.

Além de dor no peito e formigamento no braço esquerdo e pescoço, náusea e até vômitos podem indicar um infarto, além de dores nas costas, suor frio e, em casos extremos, o desmaio.

A troponina é o principal marcador bioquímico utilizado para confirmar o infarto do miocárdio. Sua concentração no sangue começa a elevar de 4 a 8 horas após a lesão no órgão.

Alimentos que ajudam a prevenir o infarto
- Laranja, kiwi e outras frutas ricas em vitamina C: Existem estudos recentes que concluíram que a vitamina C fortalece as paredes dos vasos sanguíneos, auxiliando na passagem de sangue pelo coração.

Frutas vermelhas como morango, acerola, goiabada, amora, jabuticaba, melancia, ameixa, framboesa e goji berry são ricas em antioxidantes que ajudam na prevenção da aterosclerose, doença que entope os vasos sanguíneos ao longo do tempo e que pode provocar problemas como infarto e AVC.

A prática de exercícios físicos regulares, é uma das melhores formas de prevenção conta o infarto. A adoção desse hábito, combate o sedentarismo, obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e fortalece o músculo do coração, reduzindo consideravelmente a probabilidade de um infarto.

Essa força-tarefa dos macrófagos ocorre por meio da produção de citocinas, que são proteínas secretadas de modo a afetar o comportamento de células vizinhas. No caso da recuperação do corpo após um infarto, os macrófagos estimulam as células cardíacas a recompor e revascularizar o tecido.