18 e 19 de novembro de 2011

2ª Mostra Tom Jobim EMESP

2 ° Mostra Tom Jobim EMESP no Auditório Ibirapuera

Incentivar e debater a criação na música popular é um dos objetivos da Mostra Tom Jobim EMESP, e que conta com a participação de alguns dos mais importantes nomes da música popular brasileira, como Guinga, Toninho Horta, Mané Silveira, Luiz Guello, Zimbo Trio e SoundScape.

O evento de caráter artístico-pedagógico é uma iniciativa da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim, instituição do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura, e abrange atividades como palestras, shows e lançamentos em cinco locais diferentes: Teatro FECAP, Auditório Ibirapuera, Memorial da América Latina, Teatro da Vila e EMESP Tom Jobim.

O Auditório Ibirapuera recebe três atrações por noite como o grupo de Sizão Machado, Regra de Três, que lança o álbum III, Carlinhos Antunes e Sexteto Mundano, com o CD Muvuca, e o Trio Corrente, do baterista Edu Ribeiro, que apresenta o CD Vol.2

Programação – Mostra Tom Jobim EMESP no Auditório Ibirapuera

18/11 (sexta-feira) – 21h
Guilherme Ribeiro Quarteto
Mané Silveira Quinteto
Regra de 3 (Sizão Machado)

O pianista, tecladista, acordeonista e compositor Guilherme Ribeiro tocou ao lado de Bob Waytt, Robertinho Silva, Nenê, Bocato, Léa Freire, Carlos Malta, Sound Scape, Paulo Moura, Raul de Souza, Maurício Einhorn, entre outros. Também acompanhou artistas como Roberto Menescal, Vanessa da Mata, Fabiana Cozza, Dominguinhos, Maria Alcina, Moraes Moreira, Tom Zé, Luiz Melodia e Dona Ivone Lara. Como integrante da banda da cantora Céu e do trio do gaitista Gabriel Grossi, participou de turnês e festivais no Canadá, Holanda, Bélgica e Estados Unidos. O CD Calmaria conta com os músicos Michi Ruzitschka (violão), Sidiel Vieira (contrabaixo acústico), Pedro Íto (bateria e percussão), Rubinho Antunes (trompete e flughelhorn) e Gabriel Grossi (harmônica). Magri, Flora e as Bonecas, Calmaria, Monsieur (em homenagem ao acordeonista francês Richard Galliano), Mar de Dentro, O Quarto dos Fundos, Um Pouco Mais de Fôlego, Virgínia, Prenda, Prado e Penteado e Malvadeza formam o repertório do disco.

Mané Silveira é saxofonista, flautista e compositor e tem sua trajetória ligada a grandes nomes da música instrumental brasileira. Tem participado ativamente de vários grupos ligados à criação musical como Banda Sabor de Veneno de Arrigo Barnabé, Pé Ante Pé, Freelarmônica, Sax sob as Árvores, Trio Bonsai, Orquestra Popular de Câmara, assim como convidado de projetos e grupos como Um Sopro de Brasil, Pau Brasil, Nelson Ayres Trio, Roberto Sion, Raul de Souza e Dr. Cipó, Chico Saraiva e Guinga, Swami Jr., Banda Brasil Instrumental, entre outros. Apresentou-se no Festival de Jazz de Copenhagen, Dinamarca, com o pianista Thomas Clausen, um dos grandes nomes do Jazz na Europa. No seu mais recente trabalho, Mané Silveira Quinteto, Mané Silveira conta com a participação de grandes músicos como Tiago Costa ao piano, Ricardo Matsuda ao violão e viola caipira, Zé Alexandre Carvalho, contrabaixo acústico e Cleber Almeida na bateria.

Criador de uma linguagem musical única, o contrabaixista Sizão Machado é reconhecido internacionalmente por suas atuações ao lado de Chet Baker, Herbie Mann, Elis Regina, Jim Hall, Chico Buarque, Dori Caymmi, Djavan, Milton Nascimento, Dionne Warwick, Flora Purim e Airto Moreira, Roberto Menescal, Paulo César Pinheiro e muitos outros. Como professor, Sizão Machado realizou diversas oficinas pelo mundo, como o workshop na Juilliard School (NY) e o curso Música Brasileira no Conservatório de Música Rítmica em Copenhague, Dinamarca. Ao lado de Lupa Santiago e Bob Wyatt, forma o grupo Regra de Três. Seu último CD, intitulado III, foi gravado ao vivo e é parte do projeto Trios Brasileiros (selecionado pelo Programa Petrobras Cultural para a produção e difusão das obras de trios da música instrumental brasileira). O álbum inclui composições de Lupa Santiago e Bob Wyatt.

19/11 (sábado) – 21h
Carioca Freitas, Dimos Goudaroulis e Luiz Guello
Carlinhos Antunes e Sexteto Mundano (Beto Angerosa)
Trio Corrente (Edu Ribeiro)

O trio Carioca Freitas, Dimos Goudaroulis e Luiz Guello, formado há quatro anos, nasceu nos palcos estrangeiros da Europa e da América. Sua formação (violão e voz, violoncelo e bateria e percussão) resulta numa riqueza de timbres e um passeio de cores e sonhos do Brasil. Lançado em 2011, o DVD Carioca Trio procura traduzir muito do que é o show do trio. Apresenta músicas dos CDs Danças Brasileiras e Uirapuru (últimos dois CDs do trio). Todas as composições são de autoria de Ronaldo Leite de Freitas “Carioca”.

Carlinhos Antunes toca violão, viola, charango, cuatro, kora, saz e percussão variada. Tem como principal característica viajar e pesquisar sons de diversas partes do mundo e do Brasil. Como diretor da Orquestra Mundana e com convidados estrangeiros, em março de 2007 criou e dirigiu o espetáculo LATCHO DROM, dedicado à música cigana. O Sexteto Mundano é uma formação reduzida da Orquestra Mundana que, em 2009, realizou o espetáculo Dança dos Ritmos que estreou no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Em 2011, gravaram o CD Muvuca, sem edições e interrupções. As canções, a maioria das composições de Carlinhos Antunes, atravessam culturas diferentes: brasileira, árabe, indiana, flamenca, sons africanos e latino-americanos, com uma instrumentação rica e variada. Muvuca, palavra de origem indiana, é uma mistura de diferentes sementes com a terra. A formação do grupo é Carlinhos Antunes, Beto Angerosa (percussão), Maria Beraldo Bastos (clarinete e voz), Thomas Rohrer (rabeca, sax e flauta), Danilo Penteado (piano, cavaco, baixo, acordeom e voz), Rui Barossa (baixo e voz). O Sexteto Mundano tocou em grandes festivais na Escócia, Holanda e França.

Nos últimos seis anos, o Trio Corrente – Fabio Torres, Paulo Paulelli e Edu Ribeiro – vem criando um som original, interpretando de forma única os clássicos do choro e da MPB, além de um crescente repertório autoral. Como grupo ou individualmente já receberam elogios de nomes como: Rosa Passos, João Bosco, Raul de Sousa, Claudio Roditi e Ron Carter. Desde 2009, o Trio Corrente multiplica as colaborações com grandes nomes da música nacional e internacional: Joyce Moreno, Hamilton de Holanda, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, Anthony Wilson (guitarrista da cantora canadense, Diana Krall) e Paquito D’Rivera. Em 2011, lançaram o CD Vol. 2, que conta com composições de Baden Powell/Paulo César Pinheiro, Dorival Caymmi, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Vinicius de Moraes, além de composições dos integrantes do grupo. Neste trabalho, o trio almeja reunir mundos aparentemente contraditórios, como a concisão da canção brasileira e a prolixidade benigna do jazz e do choro.

  • Dia:

    18 e 19 de novembro

  • Horários:

    Sexta e sábado, 21h

  • Duração:

    90 minutos aproximadamente

  • Ingressos:

    R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)

  • Classificação Indicativa:

    Livre para todos os públicos

  • bilheteria

2019 Auditório Ibirapuera - Alguns direitos reservados