Por que criamos memórias falsas?

Perguntado por: asilveira9 . Última atualização: 23 de janeiro de 2023
4.9 / 5 2 votos

Em geral, os pesquisadores acreditam que a confabulação pode estar ligada com danos no lobo frontal do cérebro. Problemas nessa área dificultam a recordação e verificação de informações, fazendo com que as pessoas que passam por isso não consigam averiguar a realidade de suas memórias.

A criação de falsas memórias acontece quando durante o processo de regressão é feita a alteração de memória. Por exemplo, ao fazer a regressão, o terapeuta faz com que a pessoa, que já foi mordida por cachorro, comece a lembrar que nunca foi mordida por cachorro. Embora isso possa ser feito, não é correto.

A única maneira de distinguir uma memória verdadeira de uma falsa é ver como e quando a memória foi lembrada pela primeira vez — e mesmo isso não pode lhe dizer com certeza se algo é verdadeiro, falso ou mentira. Mas é uma abordagem muito melhor do que apenas usar seu pressentimento para decidir.”

Trata-se de transtorno neurológico descoberto apenas no ano 2000 e que faz o portador recordar, sem esforço e de forma imediata, informações e acontecimentos com precisão, como se fosse um filme. A condição poderia até ser considerada uma vantagem, mas ocorre que coisas ruins também são lembradas detalhadamente.

Bebês são capazes de formar memórias. Mesmo que muitas pessoas não lembrem do que aconteceu em seus primeiros anos de vida, pesquisas sugerem que bebês são capazes de formar memórias — mas não o tipo que você consegue narrar a respeito de si mesmo.

"Vários estudos demonstraram que isso pode afetar a forma como recordaremos mais tarde essas memórias," disse Peggy. "Visualizar memórias na terceira pessoa tende a reduzir a vivacidade dessa experiência, bem como a quantidade de emoção que sentimos. Nosso sistema de memória é muito dinâmico e flexível".

A memória ocorre pela formação de conexões pelos neurônios ou células nervosas no cérebro. Tais conexões são ligadas por pontos chamados sinapses. Processos de memorização. A memória é a capacidade de armazenar informações de modo que essas possam ser recuperadas quando buscamos recordá-las.

Bloqueio de memórias
Isto é, nosso cérebro atuaria processando informações em pastas, que são organizadas e armazenadas. Entretanto, se uma memória que excede sua capacidade chega, ela é salva na forma de experiência vivida em uma rede de memória diferente da usual.

Gostaria de apagar as más memórias? É possível

  1. DESCONTEXTUALIZAR A MEMÓRIA. ...
  2. PENSAR ATÉ NÃO TER IMPORTÂNCIA. ...
  3. FOCAR-SE NA APRENDIZAGEM. ...
  4. ESCREVER SOBRE O QUE ACONTECEU.

Por isso, separamos algumas dicas de como eternizar os momentos em família para resgatar as memórias afetivas.

  1. Faça um álbum de fotografias.
  2. Produza um scrapbook.
  3. Reúna um compilado de filmagens.
  4. Monte uma playlist de músicas.
  5. Crie uma caixa de lembranças.

O cérebro multiplica os problemas como consequência de um viés cognitivo que leva à instalação e ao desenvolvimento de padrões, que são generalizados ou aplicados em excesso sem nenhuma razão real para isso. Por isso, temos a sensação de que as dificuldades se acumulam, quando a realidade não é bem assim.

As pistas podem ser: não se lembrar de partes de sua infância. Tiques comportamentais, como puxar os cabelos, roer as unhas ou mesmo urinar na cama.

Em psiquiatria, confabulação (verbo: confabular) é um erro de memória definido como a produção de memórias fantasiosas, distorcidas ou mal interpretadas sobre si mesmo ou do mundo, sem a intenção consciente de enganar.

Essa condição neurológica única significa que Sharrock consegue lembrar de absolutamente tudo que ela fez em qualquer data. Pessoas com essa síndrome podem se lembrar instantaneamente e sem esforço algum de qualquer coisa que fizeram, o que vestiram ou onde estavam em qualquer momento da vida.

Os testes de memória podem ajudar a determinar se a memória continua boa e podem rastrear seu progresso através dos exercícios. Há várias maneiras de fazer um teste de memória. Você pode fazer um teste de memória em sua casa e registrar seus resultados.

Indivíduos com hipertimesia tendem a lembrar de eventos autobiográficos, ou que tiveram significância em sua vida mudando algo no seu dia-a-dia e pessoas com memórias excepcionais geralmente utilizam estratégias para memorizar determinadas informações, o que não ocorre em pacientes com a hipertimesia.

Um estudo feito na Universidade Memorial de Terra Nova, no Canadá, concluiu que as memórias mais antigas das pessoas são de quando elas tinham 2 anos e meio de idade, em média. O estudo demorou 21 anos para ser feito e levou também em consideração uma revisão de dados previamente coletados.