Quem cuida da saúde indígena?

Perguntado por: ngaspar . Última atualização: 31 de janeiro de 2023
4.2 / 5 2 votos

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) é responsável por coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e todo o processo de gestão do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) no Sistema Único de Saúde (SUS).

Os conhecimentos tradicionais acumulados através dos tempos pelos povos indígenas resultaram em inúmeras práticas utilizadas em todo o País, em diversas áreas. No campo da Saúde, eles revelaram as propriedades curativas de plantas que hoje são utilizadas na fabricação de muitos medicamentos em todo o mundo.

O controle social se dá por meio dos Conselhos Indígenas de Saúde (Condisi), que garantem, ao menos no plano da legislação, a participação dos índios na gestão dos DSEIs. Os conselheiros são escolhidos pelas comunidades atendidas e participam de reuniões periódicas organizadas pelos gestores de cada DSEI.

A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) é responsável por coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e todo o processo de gestão do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) no Sistema Único de Saúde (SUS).

Nesse local é onde fica a Casai. É uma casa de saúde indígena que tem cuidados de enfermagem.

Os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) são unidades de responsabilidade sanitária federal correspondentes a uma ou mais terras indígenas criadas pela Lei Nº 9.836 de 24 de setembro de 1999, também conhecida como Lei Arouca, devido à atuação do Deputado Sérgio Arouca na sua aprovação.

Para participar do processo seletivo é preciso ter, no mínimo, ensino médio completo ou técnico. Não se trata de concurso público, a contratação é feita pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). As vagas são para início imediato e formação de cadastro reserva.

O Cimi é um organismo vinculado à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) que, em sua atuação missionária, conferiu um novo sentido ao trabalho da igreja católica junto aos povos indígenas.

Um dos grandes desafios que temos enfrentado, desde o início da implementação do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SASISUS) e construção dos DSEI, é o de garantir a qualidade de uma atenção diferenciada, adequada à população indígena de cada DSEI.

“A assistência de saúde voltada para a população indígena é de suma importância, considerando que boa parte dessa população está localizada em locais de difícil acesso e, às vezes, com pouco contato com outras populações indígenas ou não”, explica Deusilene Souza Vieira Dall'Acqua, pesquisadora em saúde pública da ...

Art. 2° Instituir como equipe multidisciplinar de atenção à saúde indígena no âmbito da atenção básica de saúde e terá a seguinte composição mínima: Médico, Enfermeiro, Odontólogo, Auxiliar de Enfermagem, Auxiliar de Consultório Dentário, Agente Indígena de Saúde – AIS, Agente Indígena de Saneamento – AISAN.

Para a atuação do enfermeiro em saúde indígena é essencial a compreensão do processo saúde-doença de forma ampliada, incluindo o aspecto etnico-cultural, e que o profissional busque se atualizar e adquirir novos conhecimentos.

A esse núcleo mínimo podem se somar técnicos ou auxiliares de saúde bucal, nutricionistas, microscopistas e também os Aisan, o agentes indígenas de saneamento. De acordo com o Ministério, há cerca de 1,7 mil desses profissionais contratados.

O trabalho na tribo é realizado por todos, porém possui uma divisão por sexo e idade. As mulheres são responsáveis pela comida, crianças, colheita e plantio. Já os homens da tribo ficam encarregados do trabalho mais pesado: caça, pesca, guerra e derrubada das árvores.

No Brasil, são 34 DSEI divididos estrategicamente por critérios territoriais, tendo como base a ocupação geográfica das comunidades indígenas. Não obedece os limites dos estados. Sua estrutura de atendimento conta com unidades básicas de saúde indígenas, polos base e as Casas de Saúde Indígena (CASAI).

A CASAI é o estabelecimento de saúde integrante do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SASISUS), responsável pelo apoio, acolhimento e assistência aos indígenas referenciados aos pontos de atenção da rede de referência do SUS daquela localidade, oferecendo também apoio aos seus acompanhantes, quando necessário.