O que é abandono de álveo?

Perguntado por: egalvao3 . Última atualização: 19 de fevereiro de 2023
4.8 / 5 15 votos

A palavra álveo refere-se ao leito do rio, sendo que o abandono de álveo diz respeito à porção de terra que surge quando um rio seca ou tem seu curso desviado por conta de um fenômeno natural.

No caso de mudança da corrente pública pela força das águas ou da natureza, o álveo abandonado é regido pelo disposto no art. 26 do Cód. de Águas.

Então, qual a diferença entre Avulsão e Aluvião ? A avulsão ocorre por força natural, de forma violenta, é passível de indenização, em um lapso temporal rápido. Já o aluvião, apesar de também ocorrer de forma natural, é vagaroso, não é passível de indenização e ocorre em um lapso temporal significativo.

ACESSÃO NATURAL POR ABANDONO DE ÁLVEO
A resposta é dada pelo artigo 1.252 do Código Civil, segundo o qual o álveo abandonado de corrente pertence aos proprietários ribeirinhos das duas margens, sem que tenham indenização os donos dos terrenos por onde as águas abrirem novo curso.

Aluvião e avulsão são formas de aquisição da propriedade imóvel por acessão natural e estão previstas, respectivamente nos artigos 1.250 e 1.251 do Código Civil e nos artigos 16 a 22 do Código de Águas.

Há imóveis que ficam mais de 10 anos em situação de abandono porque estão sendo alvo de disputa judicial entre herdeiros ou penhorados por dividas sendo discutidas judicialmente. Não existe posse sem moradia. Você entra, mora, cuida como seu e com o tempo vai adquirindo os direitos sobre o bem se não for contestado.

O abandono do lar pode ser facilmente descaracterizado com algum registro, formal ou informal, de intenção ou desejo pelo fim da conjugalidade. Um simples registro ou formalização da separação de fato e de corpos pode descaracterizar o abandono do lar e, consequentemente, o usucapião familiar.

1.276 que o imóvel urbano que o proprietário abandonar, com a intenção de não mais o conservar em seu patrimônio, e que não se encontrar na posse de outra pessoa, poderá ser arrecadado, como bem vago, e passar, três anos depois, à propriedade do Município.

O imóvel abandonado não autoriza o ingresso. Não é possível - mesmo diante do abandono - o exercício de posse com exclusividade por terceiros. Não há um direito de invadir imóvel público, mesmo abandonado.

Caso existam débitos por ao menos 5 anos, estaremos diante de um imóvel realmente abandonado. Com a planta fiscal e o IPTU ou nº do INCRA em mãos, basta ir ao registro de imóveis da cidade e solicitar uma certidão de propriedade.

São lícitas as provas obtidas pela polícia após invadir, sem autorização judicial, um imóvel abandonado que, inclusive, estava com a porta entreaberta.

Conforme previsto no artigo 176 da Constituição Federal, os recursos minerais “constituem propriedade distinta do solo, para efeito de exploração ou aproveitamento, e pertencem à União”.

Art. 1.277. O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha.

Quais as espécies de acessão?

  1. 1 – Acessão por Formação de Ilha. A acessão por formação de ilha está prevista no art. ...
  2. 2 – Acessão por Aluvião. A acessão por aluvião está prevista no art. ...
  3. 3 – Acessão por Avulsão. ...
  4. 4 – Acessão por Abandono de Álveo. ...
  5. 5 – Acessão por Plantações ou Construções.

1.4 Acessão da posse
A posse transmite-se aos herdeiros ou legatários do possuidor com os mesmos caracteres. Art. 1.207. O sucessor universal continua de direito a posse do seu antecessor; e ao sucessor singular é facultado unir sua posse à do antecessor, para os efeitos legais.

Bens imóveis: são bens insuscetíveis de movimento, que não podem ser transportados de um lugar para o outro sem serem destruídos. Podem, ainda, ser considerados imóveis por determinação legal, conforme estabelece o artigo 79 do CC, o solo e tudo quanto se lhe incorporar natural ou artificialmente.

Para o direito civil, evicção é a perda de um bem por ordem judicial ou administrativa, em razão de um motivo jurídico anterior à sua aquisição. Em outras palavras, é a perda de um bem pelo adquirente, em consequência de reivindicação feita pelo verdadeiro dono.

O art. 1.242 a que a legislação civil se refere é a modalidade ordinária de usucapião. Assim, os requisitos para usucapir alguma servidão, em regra, são: exercício manso, pacífico, incontestado e ininterrupto por dez anos da servidão, animus domini, justo título e boa-fé.

Aquele que, por quinze anos, sem interrupção, nem oposição, possuir como seu um imóvel, adquire-lhe a propriedade, independentemente de título e boa-fé; podendo requerer ao juiz que assim o declare por sentença, a qual servirá de título para o registro no Cartório de Registro de Imóveis.

A avulsão é um tipo de traumatismo dentoalveolar, que atinge um ou alguns dentes, os quais, por um período de tempo, foram desalojados do alvéolo. As avulsões geralmente são verificadas em um único dente, e o mais comum afetado é o incisivo central superior.

Além disso, recomendo que seja feito o maior número de registros possíveis do abandono do local (sem arrombá-lo, claro), com fotos, por exemplo, para servir de prova para a ação judicial, incluindo um Boletim de Ocorrência junto à Polícia Militar e, se possível, com duas testemunhas.